15/02/2017

Meus trabalhos acadêmicos sobre o uso do ukulele na Educação Musical e outros temas

Conforme descrito anteriormente, iniciei as minhas pesquisas sobre o ukulele e sua aplicação no ensino de música em 2011.

Em novembro de 2013 tive o privilégio de publicar a primeira comunicação do Brasil que relatasse o uso do ukulele na Educação Musical. Este trabalho foi apresentado na sessão de pôsteres do XXI Congresso Nacional da ABEM (Associação Brasileira de Educação Musical), realizado em Pirenópolis – GO, e está disponível nos Anais do Evento.

Título do trabalho: “O ensino coletivo do ukulele como uma possibilidade de inovação no contexto da educação musical”


Algumas semanas depois, em dezembro de 2013, pude publicar o primeiro TCC (trabalho de conclusão de curso) no Brasil sobre o uso do ukulele para o Ensino Coletivo de Música. Este trabalho foi um quesito parcial para a obtenção do Título de Licenciado em Música pela FAMES (Vitória-ES).

Título do trabalho: O ENSINO COLETIVO DE MÚSICA ATRAVÉS DO UKULELE: POSSIBILIDADES E DESAFIOS


No XXI Seminário FLADEM (Fórum Latinoamericano de Educação Musical) realizado em julho de 2015 no Rio de Janeiro - RJ, publicamos, eu e outros educadores musicais, um trabalho sobre nossas experiências docentes musicais. Neste trabalho cito que uso o ukulele nas minhas práticas educacionais musicais.

Título do trabalho: "UNIDADE NA DIVERSIDADE: Desafios, motivações e possibilidades de um grupo de educadores musicais brasileiros sob a perspectiva da Musicalidade Abrangente


Há também o trabalho sobre o meu projeto de pesquisa de mestrado em música pela UFRJ (em andamento) que investiga o uso do ukulele como uma ferramenta para o Ensino Coletivo de Música. Este foi apresentado no 14º Colóquio de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Música da UFRJ, realizado em dezembro de 2015, no Rio de Janeiro - RJ.

Título do trabalho: “A utilização do ukulele como ferramenta para o ensino coletivo de música: um estudo de caso no ensino fundamental da rede municipal de Guarapari-ES

 
No X Encontro Regional Sudeste da ABEM / III Encontro de Educação Musical do Colégio Pedro II, realizado em setembro de 2016 no Rio de Janeiro – RJ, apresentei um relato de experiência sobre o Ensino de Música a Distância Online. Parte do relato se trata do ensino online do ukulele. O trabalho estará nos anais do encontro.

Título do trabalho: “O Ensino de Música a Distância Online: um relato de experiência sobre o ensino-aprendizagem de violão e ukulele na educação não formal”




Eu e o Ukulele

Breve histórico do instrumento 


O ukulele é um instrumento de cordas dedilhadas popularizado na cultura do Havaí. Possui ascendência nos instrumentos portugueses Braguinha e rajão, trazidos por emigrantes da Ilha da Madeira no final do século XIX. Possui um “parentesco” com o nosso cavaquinho, que também é originário de Portugal. O instrumento possui um som muito peculiar e “leve” de se ouvir. Muitos pensam se tratar de um brinquedo. Apesar de parecer, não é um brinquedo (risos)! O ukulele é um instrumento musical que nos oferece muitas possibilidades!
Ao longo dos anos muitos músicos têm utilizado o ukulele em suas performances e gravações: Roy Smeck, Cliff Edwards, Elvis Presley, George Harisson, John Lennon, Paul McCartney, Israel Kamakawiwo'ole, Eddie Vedder, Jack Johnson, Jason Mraz, Jake Shimabukuro, James Hill, Sungha Jung, entre outros.
No Brasil tem-se visto músicos como Marisa Monte, Tiago Iorc, Clarisse Falcão e outros profissionais da música utilizarem o uke (outra forma de se referir ao ukulele). O instrumento também tem se tornado muito conhecido entre os músicos amadores. Há vários sites e canais específicos sobre o ensino do instrumento, bem como grupos de redes sociais sobre o tema. Há ainda os encontros para tocar o ukulele (conhecidos como Uke Days) em várias partes do Brasil.

João e o ukulele...


A minha história com o ukulele começa no fim do ano de 2009, quando conheci o instrumento através do vídeo (disponível no Youtube) daquele garotinho (Makoto Sato) tocando a música I’m Yours do Jason Mraz. Fiquei encantado! Em 2010, na Faculdade de Música do Espírito Santo (FAMES), onde eu estudava naquela ocasião, houve a iniciativa de se colocar o ukulele no curso de musicalização infantil oferecido pela Instituição, o que me chamou a atenção em termos pedagógicos.
Em 2011, nas minhas aulas de música para crianças menores (5 a 7 anos de idade), usando o violão, pensei que o ukulele poderia facilitar o aprendizado de alguns aspectos técnicos pelo fato de ser menor, de as cordas possuírem menor tensão, por ter menos cordas, além de ser muito atrativo por seu visual e sonoridade.
Realmente foi o que pensei e muito mais! Desde então tenho pesquisado e usado o instrumento nas minhas práticas musicais docentes (aulas particulares individuais e coletivas) e artísticas (casamentos e outros eventos). Participo dos movimentos sobre o ukulele no Brasil, grupos de redes sociais que tratam do tema, bem como atuo (junto com outros colegas) na organização dos Uke Days no Espírito Santo. 
O ukulele se tornou uma parte tão importante na minha trajetória que no meu casamento (em setembro de 2012) o usamos na entrada das alianças, quando a daminha entrou carregando o instrumento! Foi lindo!



Aloha!!!